Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» A cultura alimentar proibida pela lei

» A sociedade dos afetos regredidos

» UberCapitalismo: a contrarrevolução do século 21

» UberCapitalismo: a contrarrevolução do século 21

» Revolução Russa: mitos, erros e atualidade (1)

» Frugalidade, opção anticapitalista

» Henrique Meirelles e o Consenso de Washington

» Rio Doce, a farsa da “recuperação”

» Boaventura: a ilusória “Desglobalização”

» Boaventura: a ilusória “Desglobalização”

Rede Social


Edição francesa


» L'autre combat des femmes kurdes d'Irak

» Révolte silencieuse pour sauver l'Unesco

» La France condamnée à désarmer

» Ces grandes puissances, obstacles à un monde non nucléaire

» Des champs pétrolifères contestés

» Les frontières incertaines du Kurdistan

» Pour un nouvel ordre économique mondial

» Une voie nouvelle : enrichir la revendication

» En finir avec le franc CFA ?

» Nihilisme et radicalisation


Edição em inglês


» Gabriel Gorodetsky on the early years of Soviet foreign policy

» Trump's game plan

» “Tell me how this ends?”

» “Enemy Combatants” again?

» The empire comes home

» The scandal of Pentagon spending

» Autopilot wars

» The Trump presidency

» Trump is in your head

» China's new Silk Road


Edição portuguesa


» Ordenar a floresta contra incêndios: não basta a silvicultura

» Os incêndios florestais, mais uma vez

» Edição de Outubro de 2017

» Trabalho à esquerda

» O século de Lenine

» «Nova rota da seda»: um trunfo geopolítico para a Rússia

» Edição de Setembro de 2017

» Blocos de actividades para o Estado e para o mercado

» Donald Trump ultrapassado pelo partido anti-russo

» Edição de Agosto de 2017



PONTO DE CULTURA

Escola Livre de Comunicação Compartilhada

Imprimir
Enviar
Comentar
Ler Comentários
Compartilhe

Biblioteca Diplô e Outras Palavras abrem inscriçoes para seminários sobre jornalismo colaborativo. Série começa em abril, aposta na possibilidade de produzir informação profunda na web 2.0 e visa ampliar equipe e cobertura temática das publicações

(12/04/2010)

Pela primeira vez desde que Gutenberg inventou os tipos móveis, surgiu, nas últimas décadas, a possibilidade de superar a mídia de mercado – construindo como alternativa a ela uma comunicação colaborativa e des-hierarquizada. Ainda não sabemos por quanto tempo permanecerá aberta a janela de oportunidade; nem se a transição se completará com êxito. O desfecho depende de iniciativas concretas que é preciso tomar agora, enquanto há espaço para agir.

Convencida das ideias acima, e poucas semanas depois de relançar a Biblioteca Diplô e Outras Palavras, a equipe responsável pelos sites está abrindo inscrições para seminários semanais sobre jornalismo compartilhado. Constituem o projeto Escola Livre de Comunicação Compartilhada, transformado após seleção pública em Ponto de Cultura. Começam ainda em abril e se estendem até o final do ano. São gratuitos, têm versões presencial (em São Paulo, para até 20 pessoas) e à distância. Visam (além de exercitar a sempre gratificante troca de conhecimentos...) expandir rapidamente a equipe de colaboradores dos sites, o volume, abrangência temática e qualidade do material publicado.

Duas hipóteses complementares inspiram os seminários. Primeira: se apropriada democraticamente, a internet cria condições inéditas para uma comunicação transformadora. Desde que surgiu o jornal moderno, há cerca de quatro séculos, existe – é claro – jornalismo crítico. E uma imprensa “de esquerda” apareceu já durante a Revolução Francesa, no mesmo instante em que se formou o espectro político-institucional com o qual ainda convivemos. Mas foi sempre um combate desigual. Enquanto a narrativa do presente precisar ser mediada por uma indústria, prevalecerão as visões de mundo com mais capital para contratar assalariados; montar parques gráficos, estúdios e centrais de produção; ter acesso equipamentos e tecnologia.

A novidade da comunicação compartilhada está em romper a hierarquização e a desigualdade que a acompanha. Se os seres humanos podem se comunicar sem intermediários, o poder dos grandes conglomerados de mídia dilui-se de modo dramático. A emergência da blogosfera expressa precisamente o desejo de comunicar uma infinidade de temas e pontos-de-vista que não cabiam na cobertura da imprensa: da vida pessoal e observações quotidianas de cada um às informações e análises antes proscritas ou marginalizadas.

NA NET, EM BUSCA DA PROFUNDIDADE: Porém – e aqui, a segunda hipótese a animar os seminários –, a vitória sobre a velha mídia não são favas contadas. É preciso evitar o risco do autismo comunicativo: milhões de usuários dos novos meios satisfeitos por poderem se expressar, porém pouco preocupados em construir sentidos coletivos capazes de mudar o mundo. Neste esforço, há um aspecto relacionado a saberes: cada internauta tem o direito de conhecer e praticar os conceitos, linguagens, técnicas e tecnologias de comunicação jornalística que a humanidade construiu.

Os seminários são uma contribuição da Biblioteca Diplô e Outras Palavras à garantia deste direito. Ao longo das últimas semanas, os sites têm procurado demonstrar que é possível praticar jornalismo profundo e relevante na velocidade e condições da net. Não desprezamos os posts curtos, as intervenções instantâneas sobre temas específicos, cuja publicação pretendemos expandir em breve. Mas queremos resgatar, no momento, a busca do assunto importante e despercebido; a apuração cuidadosa; a redação que faz da leitura, prazer. Buscamos estes valores em textos breves (ver, por exemplo, Reforma agrária: o que a mídia não vê, Na África, um golpe contra a democracia?, 40 horas: o debate oculto, Os ingleses querem o petróleo das Malvinas e diversos outros. E os perseguimos com ainda mais empenho em matérias que abrem o debate sobre temas ocultos pela mídia tradicional (confira, entre outros, Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre.

Queremos envolver um grupo maior de comunicadores neste esforço. Nossos seminários nada têm a ver, evidentemente, com a formação universitária. Visam qualificar a ação e reflexão imediatas de quem produz jornalismo ligado à internet. Seu foco principal são as novas possibilidades abertas para captar informação em múltiplas fontes; checá-la a distância; retrabalhá-la, tornando-a acessível ao universo com o qual cada comunicador se relaciona; difundi-la da forma mais ampla possível.

O programa, que estará disponível nos próximos dias, trará novidades. Os capítulos dedicados à captação de informações, por exemplo, debaterão como acompanhar dezenas de fontes alternativas, em diversos idiomas, sobre qualquer assunto internacional relevante; e como organizá-las em sistemas de consulta eficiente. Os encontros sobre criação de textos discutirão a tensão entre a necessidade de comunicar rapidamente e a de assegurar a qualidade da forma. Uma sessão sobre direitos autorais revelará as formas de localizar e reproduzir conteúdo (inclusive imagens) na net e as vantagens (tanto ideológicas quanto pragmáticas) de manter aberto para reprodução o material que se produz. Embora a ênfase da iniciativa não seja a tecnologia, ela não será descuidada. O programa abordará, por exemplo, os últimos desenvolvimentos em plataformas para produzir programas de web-TV e web-rádio; os sistemas de tradução idiomática, suas vantagens e limites; a possibilidade de criar blogs multiusuários ou redes de blogueiros, usando programas como WordPress.

BREVE, MAIS CONVITES À COLABORAÇÃO: Os participantes – tanto presenciais quanto à distância – serão convidados a contribuir ativamente com Outras Palavras e a Biblioteca Diplô. Parte deles (em especial os estudantes) será convidada a estagiar em nossa redação. Não há, nesta fase, recursos para remunerá-los, mas o aprendizado será valioso: vai-se praticar, no dia-a-dia, o que for debatido nas formações.

As inscrições estão abertas e podem ser feitas num formulário sucinto, disponível aqui. Os seminários são apenas o início de uma expansão de nosso projeto. Outras Palavras e a Biblioteca Diplô, que já publicam artigos de colaboradores, que escrevem sobre temas específicos, ampliarão a abertura a este tipo de contribuição. Nas próximas semanas, farão chamadas para interessad@s em exercer atividades de webdesign, programação, publicidade alternativa, captação de recursos, administração e outras. Está em estudos constituir uma associação sem fins lucrativos, para reunir gente disposta a agir na prática por uma nova Comunicação. Também ela, estamos convencidos, pode e deve ser construída de modo colaborativo.

MAIS

> Interessad@s em participar dos seminários devem inscrever-se aqui.

> Os eventos ocorrerão às quintas-feiras, das 19 às 20 horas, a partir de 29 de abril. Presencialmente, ocorrerão em São Paulo, na sede da Revista Viração: Rua Augusta, 1239, conjunto 11->http://maps.google.com/maps?f=q&amp...].

> Para maiores informações, escrever para pontodecultura@outraspalavras.net, ou chamar (11) 3449.3747, com Antonio ou Carolina.



BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Fórum

» Comente este texto
» Leia os comentários

Leia mais sobre

» Internet
» Jornalismo
» Conhecimento Compartilhado
» Direito à Comunicação

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos